6 de nov de 2009

CIRANDA DE ILUSÕES

Estamos na virada
Na virada do ano
Do barco
Dos tempos
As coisas não param
O tempo não para
È incessante
A máquina da vida vai engolindo meus sonhos
Meus sonhos, teus sonhos, nossos sonhos
Mas você sonha com o quê?
Que sonhas tu?
Ou carrega dentro de si
Uma vontade babaca de ser melhor que eu?
Você se acha tão importante por quê?
Vamos todos morrer no final do filme
Absurdo sermos tão pequenos
Viver num mundinho medíocre de coisinhas
Pessoas se matando por um All Star
Mas quem é star num mundo cheio de nuvens?
Mas e a fome? Quem mata a fome?
Quem mata o racismo?
Quem mata o medo?
E teus fantasmas a te perseguir?
E todos os outros preconceitos?
Quem mata também morre
Quem morre somos nós
Nos nós da vida
Cada dia um pouco mais
De forma lenta e progressiva
Um pouco mais baldios, frios, tristes
Tristes, tristes, tristes...
Palavra triste
Melhor seria falar em amor
A tristeza me faz pensar na minha coleção de desilusões
Acreditava tanto que todos um dia pudéssemos voltar a brincar de ciranda
Fico aqui, eu e minhas divagações
Acredito em estrelas, acredito no invisível
Mesmo na tempestade, na escuridão
Ainda assim prefiro ser clarão.

5 comentários:

  1. eu adorei...rsss...e vcs? rs

    ResponderExcluir
  2. eu tambem adorei edilson ! e acredito que um dia as pessoas serão melhores e que tudo de ruim vai passar .
    beijao

    ResponderExcluir
  3. Valeu a visita!!
    Parabéns pelos textos, muito bons!
    abraço

    ResponderExcluir
  4. obrigado os coments galeraa.

    ResponderExcluir

O Lua agradece sua visita, volte sempre.