12 de ago de 2010

ABANDONADOS?

Estou lendo um livro superbacana chamado Melancia , da brilhante Marian Keys. O livro fala a respeito da capacidade que a protagonista da trama tem de superar as pequenas (ou grandes - depende do ponto de vista) tragédias da vida. A personagem central é Claire (uma beirando os 30) que tenta de todas as formas encontrar o verdadeiro sentido de continuar a viver, mesmo depois de ter perdido seu grande amor (não, ele não morreu, apenas apaixonou-se pela vizinha do prédio) e ainda por cima administrar o fato de ser mãe de uma recém nascida e procurar fazer o melhor para si mesma e sua filha. Tudo isso é tratado na maior parte do tempo com bastante humor. O tema do post não é a respeito do livro, mas sim sobre como nós seres humanos (homens e mulheres), que algum dia vimos “a grande história de amor de nossas vidas acabar”, nos sentimos vítimas. A pior vítima de fato é si mesmo. Temos uma capacidade enorme de vitimização e muitas vezes nos colocamos na posição de coitadinhos e coitadinhas.

Quando um relacionamento termina, muitas vezes atribuímos o fim ao nosso parceiro amoroso, mas nos esquecemos de que também temos a nossa parcela de responsabilidade no relacionamento. Quando adquirimos a noção de que um relacionamento é feito da “junção dos meus 50% e dos 50% do outro”, tudo parece realmente mais real e verdadeiro. Mentir pra si mesmo é muito conveniente, mas nem sempre é eficiente. Muitas vezes o relacionamento dá diversos indícios de desequilíbrio, mas teimamos em não querer enxergá-los. Parece que todos que estão a nossa volta enxergam a realidade, mas nós colocamos grandes óculos escuros e fugimos da verdade, como um vampiro foge do crucifixo... rs. Ninguém nunca disse que seria fácil. Ninguém nunca criou um manual de instruções eficiente o bastante que explicasse passo a passo como ser feliz dentro de um relacionamento, muito menos como lidar com o sentimento de perda que invariavelmente ocorre depois de uma separação. Acho triste o sentimento que temos de nós mesmos em uma situação de término. A sensação de abandono e rejeição é muito comum, sentimo-nos derrotados, fracassados, impotentes, mas esquecemos de perceber que de fato um relacionamento só se fortalece se ambos estiveram imbuídos com o mesmo espírito e energia. Ninguém consegue ser feliz sozinho. É preciso que ambos trabalhem a relação para vê-la prosperar. Nós vamos colher e receber do universo o que damos a ele.

Muitas pessoas também não estão maduras o suficiente para se relacionarem. Acreditam em fórmulas mágicas que não existem e acabam sofrendo no final. Tudo leva tempo e faz parte do processo de aprendizagem amorosa de cada um de nós. Tem pessoas que definitivamente não são românticas. Tá bom, pra você? Não tá? Pule fora, então, o mais rápido possível. Tem pessoas que se julgam sempre certas e para elas o que elas falam é lei, só existe uma opinião: a delas (rs). Pule fora, não serve. Tem pessoas que vivem para si mesmas (até quando se relacionam com outras). Não dá? Não agüenta? Procure outra pessoa. O que quero dizer com isso? Procure alguém compatível com seu perfil. Acho inadmissível pessoas dizerem que são infelizes, mesmo quando estão namorando, casados ou seja lá que outra forma de relacionamento ela se encontra. Não está feliz com a companhia da pessoa ao lado? Seja sincero(a) e franco(a) com si mesmo(a) e procure sua verdadeira realização amorosa. Tem pessoas que morrem de medo de se sentirem sozinhas, mas afinal...não morreremos sozinhos? Nascemos cercados de pessoas, mas morreremos sozinhos. Aquela máxima ainda vale e muito: “ANTES SÒ QUE MAL ACOMPANHADO”.

Demorei muito para encontrar uma pessoa que se afinasse ao mesmo estilo de vida que julgo razoável para um convívio. Supervalorizo o amor (acho que ele tem que ser muuuuito bem tratado), valorizo o carinho, pequenas delicadezas (adoro receber cartinhas, bilhetinhos, mimos e presentes...confesso... rs), respeito, cumplicidade e troca de energias boas. Quando falo que demorei, não estou sendo exagerado. Só fui saber de fato o que era o AMOR romântico depois dos 30. Até então, o que vinha experimentando eram frustrações, desilusões e perdendo meu precioso tempo. Quando achei que jamais encontraria minha coca-cola no deserto (rsss) deparei-me com meu amor e desde então venho sendo muito feliz. Vejo muita gente no mundo real e virtual buscando, procurando, ansiando por um grande amor, mas me questiono se de fato essas pessoas estão amadurecidas emocionalmente para se relacionarem de forma honesta e transparente. Um relacionamento, para dar certo, precisa de muito diálogo e aceitação. Quando a gente se conhece de fato, está apto a descobrir o semelhante. Quando pessoas se frustram em muitos relacionamentos porque querem porque querem um companheiro(a), mas não se conhecem de verdade por inteiro. Talvez seja mais fácil e cômodo agir como se o inferno fosse os outros (Sartre) mas, na verdade, na real, muitos acabam sofrendo por não conseguir ter um relacionamento honesto com si mesmas. Quando um relacionamento acaba, experimentamos uma sensação de luto, mas precisamos velar e enterrar esse “amor”, dar um tempo para as coisas serenarem dentro de nossos corações e buscar evoluir. Evoluímos no amor, mas também evoluímos na dor. Um belo dia, você acorda e percebe (espero) que o relacionamento terminou não por um incompetência sua, conspiração, macumba (rs), ou seja, lá o nome que quiser dar para isso, mas pelo simples fato que em algum momento da relação alguma coisa se desconectou e vocês não tiveram vontade ou percepção para arrumar. Não há mal algum em reconhecer um erro, uma dificuldade, de repente, da dificuldade nasce a oportunidade de buscar melhorar e crescer. Ao menos você tentou e continua tentando ser feliz e isso, isso é o mais importante.

LINDO FIM DE SEMANA A TODOS!

Foto extraída do Google Imagens

17 comentários:

  1. UAU, que post é esse? Bem, fazendo algumas inferências:
    1 - Não dava "um conto" pelos livros de Marian Keys. Até ler o primeiro, "Casório?!" e me identificar muito com o que ela escreve. Depois li "Los Angeles", que também me surpreendeu. Falta ler Melancia. Gostei muito da escrita dela.
    2 - Realmente é necessário maturidade para encarar um relacionamento. E confesso, você lançou dúvidas sobre mim com este post. "Quando pessoas se frustram em muitos relacionamentos porque querem porque querem um companheiro(a), mas não se conhecem de verdade por inteiro." Acho que estou nessa categoria. Preciso pensar muito sobre isso.
    Enfim, acho que vou pensar mais sobre esse assunto. Mas adorei o post. Muito bem escrito como sempre. Será que só vou encontrar um amor romântico depois dos 30? Então tá na hora de pensar o que fazer da minha vida nos próximos 5 anos. kkkkkkk; Abração, querido.

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Achei muito bom este post, realmente precisamos observar o que queremos da vida. Ou melhor, quem queremos ou quem não queremos, é a sempre tal da afinidade e do entendimento. Cada um tem um jeito, cada um tem a sua vida. E é necessário que para arranjarmos alguém sério é preciso a disposição e a adequação de ambas as partes. Se não deu certo, pelo menos houve uma tentativa... rs

    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. A autocomiseração é o grande problema no fim dos relacionamentos. Algumas pessoas preferem ficar chorando sobre o leite derramado, que tentar continuar a vida e se dar outras oportunidades.
    Bjux

    ResponderExcluir
  4. Olá querido..
    Simplesmente Lindo seu texto.

    Realmente é dificil superar a perda de um grande amor.kkk
    Passei por isso a pouco, por certo tempo chorei, mas Agora é vida nova... afinal ela continua ...

    Seja Forte !!!

    bjsssss

    ResponderExcluir
  5. Moço eu conheço o livro Los Angeles dela e gostei do modo coma ela escreve, e depois desse post (incrível) super bem escrito e motivador eu quero ler "Melância".
    Concordo com vc q temos grande facilidade de nos vitimizar -pobre de nós- e as vezes pobre de quem está a nossa volta. Porque muitas vezes nos tornamos insuportáveis.
    E na verdade só quando a gente aprender que amor é gratuidade e não obrigação, que de fato vamos aprender a lidar com as perdas que muitas vezes são necessárias pra nosso crescimento.
    Bjus nosso.
    Jay

    ResponderExcluir
  6. As vezes me acho mega imaturo emocionalmente para um relacionamento amoroso, as vezes não, acho que é questão de pensar, como disse, nos pontos pessoais, sem culpar terceiros e experimentar, conhecer, arriscar sempre e sem medos... Adorava me fazer de vítima ahuahsuahsuha, mas essa eu já aprendi! Bjuuu!

    ResponderExcluir
  7. Oie querido! Caramba em menos de uma semana é a segunda vez que leio na blogosfera sobre o livro "Melancia" apesar dos 8 livros que tenho aqui para ler, das revisões de texto que faço, do meu blog, da finalização do meu livro e mais bláblá... acho que não vou escapar de priorizar a leitura desse livro não... tem cara de ser mesmo megainteressante... beijo, beijo! ;)
    She

    ResponderExcluir
  8. já ouvi muito falar desse livro Melancia
    quero ler
    sei que vou gostar

    e relacionamentos envolvem responsabilidades ou seja maturidade
    se não tem não funciona!

    beijos

    ResponderExcluir
  9. Relacionar é conhecer, vivenciar, se entregar sem medos ou receios e principalmente não perder a dimensão do respeito à individualidade de cada um ... relacionar é 1 + 1 na busca de 2 ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  10. Fiquei interessado no livro.
    Bom, acredito que relacionamento é responsabilidade e maturidade. Quando não da certo, não fico chorando por muito tempo...levanto a cabeça e vou em busca de outra. Pois, quero e preciso ser feliz.

    abraços
    de luz e paz

    Hugo

    ResponderExcluir
  11. Queridos:

    J.M - Obrigado pelo carinho. Gosto de indicar coisas boas aos amigos, eu quis compartilhar da minha atual leitura. Em relação "ao relacionar-se" é preciso primeiro ter um relacionamento maduro consigo mesmo para depois aventurar-se com outra pessoa. Infelizmente nem sempre, agimos assim. Por isso, tanto sofrimento antes de amadurecermos. Lindo fim de semana.

    Três Egos - Exatamente, foi direto ao ponto. Precisamos no mínimo ter noção do que buscamos para não gastarmos nosso tempo e energias em coisas sem fundamento e futuro. Abraços e lindo fim de semana.

    Wanderley - Pois é, acho que o sentimento de abandono suscita nos homens a mesma sensação quando tem que se desprender do peito da mãe. Algo freudiano, creio eu...rs. Lindo fim de semana e abraço grande.

    Chiara - A sensação de desamparo é inevitável, mas como você bem disse todos precisam aprender a caminhar em busca de coisas melhores e evoluir. Essse é o segredo. Lindo fim de semana...beijoooo.

    Jay - Então, eu fiquei tão empolgado com a Marian que já quero ler outras coisas. Me indicaram "Sushi" e ele está na lista dos próximos livros a serem lidos. Abraços e lindo fim de semanaaaaa.

    Renato - Vivendo e aprendendo,né? Cada dia temos a oportunidade de nos tornarmos melhores e os erros apesar de nos machucarem também nos ajudam a querer acertar. Não desista de você. Lindo fim de semana...abraços.

    Cantinho She - Lindona, não é nenhum livro sensacional e incrível, eu diria apenas que é uma boa leitura e muitas vezes bem divertida. Impossível não nos apaixonarmos por Claire, recomendo a leitura, só não espere nada fantástico, acho um livro agradável apenas isso. Sensacional? "A elegãncia do Ouriço", esse é demaissss. Lindo fim de semana. Beijooo.

    Serginho - Foi conciso e preciso. Exatamente, a palavra chave: RESPONSABILIDADE.Assumir erros e acertos. Lindo fim de semana...abraços.

    Paulo - Exatamente isso. 1+1 buscando o feliz 2. Arrasou na definição de relacionamento. Adoroooooo você...rs. Lindo fim de semana. Abaços grandes.

    Hugo - Isso mesmo. Parabéns. CLAP CLAP CLAP..rs Nada mais horrível que ser o "coitadinho" vitimizado. Vira "o chato" e o "cansativo". Já fui assim (pastpastpast...rs). Ninguém tem saco para ser "muro das lamentações". Abraços e lindo fim de semana.

    BRIGADUUUU O CARINHO DE VOCÊS...ADOROOOO.

    ResponderExcluir
  12. otima recomendação.

    bjs
    Insana

    ResponderExcluir
  13. Nada anda se os dois lados estiverem bem consigo mesmo.

    Não sou da premissa de que um relacionamento é 50% de um e 50% do outro. Eu acho que cada um dá o seu todo, e eles não se misturam. Não podem de misturar. Nem faltar a essência de nenhum em nenhum aspecto. Todo espaço vazio tende a ser tomado, e nem sempre o que ocupa é lá flor que se cheire...

    Beijos Edilson!

    ResponderExcluir
  14. Queridos:

    Insana - Obrigado querida, gosto de indicar coisas bacanas aos leitores. Lindo fim de semana pra ti. Beijoooo.

    Lobo - Concordo com você, apenas acho que precisamos definir bem claramente o que buscamos, o que estamos dispostos a doar e de que forma, porque muitas vezes as pessoas sofrem por receber pouco demais. Lindo fim de semana...abraços.

    ResponderExcluir
  15. Afff, tantas indicações feitas por você, e eu não arrumo tempo pra nada...será que estou ficando acomodada por demais?
    Quando te leio, fico empolgada, penso, dessa semana não passa, vou ver algo indicado pelo Edilson, e lá se passa a semana e na correria da vida, vai, vai, vai e nada faço....grrrrrrr.

    Será que tenho cura?
    :)
    Beijos meu querido.
    Te adoro.

    ResponderExcluir
  16. Querida Majoli:


    Obrigado pelo carinho de sempre. Infelizmente meu tempo é megaaaaa curto levanto ás 6 e durmo ás 23:00 todo santo dia, nem sempre posso ser tão presente como gostaria. Espero que tenha tempo para ler e ver os filmes indicados. Linda semana..beijoooooooooooo.

    ResponderExcluir
  17. Obaaaaaa adorei a dica, querido, já anotei para ler depois....beijo, beijo! ;)
    She

    ResponderExcluir

O Lua agradece sua visita, volte sempre.