4 de jan de 2011

A ARTE DE CONVIVER

Eu acredito que conviver com alguém, tanto na esfera pessoal, profissional ou familiar é uma das artes mais difíceis e trabalhosas porque precisamos ter em mente que conviver com alguém subentende um processo de aceitação do outro e não só precisamos aprender a lidar com qualidades como os defeitos. Muitas vezes buscamos a aceitação do outro, mas acontece o processo inverso também. A minha expectativa de ser aceito é igual ao da outra pessoa. Todos estão de uma forma ou de outra buscando a famosa aceitação. O que seria então o conviver? Talvez seja entendermos as limitações que muitas vezes aparecem de forma implícita na relação que estabelecemos com o outro. Parece difícil de entender? Talvez o seja, mas a viagem em busca de si mesmo e do outro é uma das experiências mais ricas que podemos trilhar. Quando nos propomos a tal experiência nos deparamos com o melhor e o pior do outro e vice-versa. São manias, ranzos e defeitos que precisam ser trabalhados para que possamos levar adiante tal viagem. Nem sempre é muito fácil o processo de descobrir o outro pois isto demanda muito trabalho e paciência. Quando nos propomos a conhecer alguém devemos ter em mente que a pessoa não nos chegará apenas com as qualidades. As pessoas não são apenas cheirosas, inteligentes, bem humoradas, sexies e dispostas; mas também podem ser cansativas, monótonas, ranzinzas e estar com o desodorante vencido (hahahaha). O que quero dizer com isto? Que as pessoas não se resumem a meia dúzia de adjetivos bons e ruins, mas que o ser humano é complexo demais para querermos reduzi-lo a um tipo específico de personalidade. Quando iniciamos o processo de conhecer alguém precisamos sempre estar atentos que vamos nos deparar com coisas maravilhosas, traços marcantes que irão nos estimular bastante, mas também vamos conhecer o outro lado deste indivíduo. Ninguém consegue ser o tempo todo alto- astral, bonito, cheiroso, bom de cama e de bem com a vida. As pessoas vestem determinadas “fantasias politicamente corretas” na hora da sedução, mas no dia-a-dia as pessoas não estão sempre com cara de comercial de pasta de dente, e também estão longe daquele modelo bonitinho de “família feliz” de comercial de margarina.

Temos nossos altos e baixos. Nossos momentos “paz e amor”, mas também momentos” Amy” Somos calmaria e tempestade. Não vejo aí um traço de bipololaridade (como alguns insistem em taxar) mas a complexidade da psique humana. Acho muito simplista a idéia de querermos categorizar um indivíduo apenas porque analisamos meia dúzia de características dele. Eu sou mais que isto. Você também é mais que isto. Somos uma gama de sentimentos, de características que nem sempre são tão bacanas, nem sempre são apreciáveis, mas o ser humano é assim mesmo. As pessoas acabam muitas vezes frustrando-se porque formatam um tipo de perfeição no outro e projetam todas as suas expectativas no pobre coitado(rs). Quantas vezes presenciei amigos e amigas querendo com demasiada ansiedade encontrar o ser perfeito “bonito,inteligente,rico e cheiroso” ou “a gostosa, bonita,cheirosa e sempre fogosa” e na realidade quanto maior a expectativa acerca de alguém maior a frustração de ver que este modelo simplesmente não existe. Ao invés de corrermos tanto atrás de um modelo inexistente seria mais fácil entendermos que jamais, nunca, nunquinha vamos ser exatamente aquilo que o outro busca e vice-versa. Quando encontramos alguém que nos aceita de forma plena e quando a recíproca acontece, aí sim, surge o amor. O amor surge no exato momento que surge a aceitação. O amor encontra espaço fértil na aceitação. A palavra- chave é aceitar o outro. Com defeitos e qualidades, com as características que nos fizeram nos apaixonar, mas nunca esquecer que este indivíduo é tão imperfeito como você. Duas pessoas imperfeitas procurando ser felizes e cientes de suas limitações. Se eu pudesse deixar uma dica (acho conselho superpresunçoso..rs) diria que busquem pessoas reais e não projeções. Eu duvido que a Angelina Jolie e o Brad Pitt não tenham defeitos. Ninguém é só santo ou demônio, mas buscar o meio termo disto pode vir a ser algo bem divertido.

Foto extraída do Google Imagens

10 comentários:

  1. Querido amigo, sensacional o seu post! É isso mesmo relacionamentos não são nada fáceis, conhecer o outro e deixar-se conhecer é mesmo difícil e requer sabedoria, respeito, amor e discernimento... É uma pena que as relações de hj em dia, algumas delas, não sejam preenchida desses requisitos e logo se acabam, para logo ali adiante a pessoa começar uma nova relação tb com perfeições e imperfeições.

    E sobre a sua segunda parte do texto eu concordo totalmente contigo qdo vc diz que a pessoa ser calmaria e tempestade não signifique necessariamente uma bipolaridade como algumas pessoas realmente insistem em diagnosticar, pois esse diagnóstico vem acompanhado de outros fatores, enfim as pessoas têm mania de médico e louco todo mundo tem um pouco... Afff! (rsrs)

    O lance é não idealizar, pois toda idealização trás frustração tanto para o próximo qto para nós mesmos! ;)

    Pra variar EU AMEEEEEEI o seu post!

    Beijo, beijo!
    She

    ResponderExcluir
  2. Na verdade esse é um dos motivos pelo qual fujo dos relacionamentos. Tenho medo de expor meus milhares defeitos e de não ser aceito.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. O meio termo é q é dificil de se chegar, na maioria das vezes as pessoas preferm ser boas ou más. Concordo com vc quando disse q as pessoas procuram aceitação, mas se a preocupação fosse em ser simplemente elas acho q seria bem mais "divertido" como vc mesmo disse!
    abraçooo!

    ResponderExcluir
  4. relaçoes humanas são algo que, quem compreende, eu tiro meu chapéu, eu simplesmente vou levando.

    ResponderExcluir
  5. As pessoas fantasiam muito sobre o outro, adorei o texto, realmente conviver é a mais complicada das artes, abraçooooo!

    ResponderExcluir
  6. A máxima da convivência sem grandes danos é: saiba relevar as pequenas e as vezes as grandes coisas. Senão ninguém se aguenta.

    Um beijo Edilson!

    ResponderExcluir
  7. Queridos:

    Sheilinha - Ah você já é suspeita porque gosta de tudooo que escrevo...rs Falando sério, fico muito feliz em saber que curtiu o post e fez comentários inteligentes e pertinentes. Bjão lindona.

    Candy - Não tenha medo de expor-se. O seu medo é o medo do outro tb, pode ter certeza disso. Linda semana. Obrigado pelo carinho.

    Vanderson - Pois é meu amigo, enquanto isto as pessoas vão fingindo ser o que não são e fingindo serem felizes. Abraços e obrigado por aparecer estava sentindo tua falta. Lindo 2011.

    Rodrigo - Você é da turma do Zeca?rsss "Deixa a vida me levar, vida leva eu"....rs Olha pra ser sincero: eu tb acho bem complicado, mas a medida que vamos nos conhecendo e nos permitindo acho que fica mais fácil conhecer o outro. Sou da turma do Frank: "let me try again"...rs. Abraços.

    Re: Você apareceu pessoa...rs Pois é, eu acho que realmente precisamos pelo menos ter a boa vontade de tentar,né não?rs Abraços e linda semana.

    Lobo - Perfeito. Resuumiu meu post em 3 linhas...rs. Abraços lobinho, fico sempre mtooo feliz com sua presença no Lua.

    ResponderExcluir
  8. o Lobo matou a pau ... perfeito ... simples assim

    bjux Edilson ...

    ;-)

    ResponderExcluir
  9. kkkkkkkkkkkkkkkkkk ah meu querido amigo, vc perdeu a gargalhada que eu dei lendo o seu comentário... ai, ai muito bom!

    Olha o meu voto vc já tem... hehe :P
    Beijo, beijo queridão!

    ResponderExcluir
  10. Queridos:

    Paulo - Matou mesmooo..rs Ele fala umas coisa incríveis (sou fã do lobo)...rs. Abraços e obrigado pelo carinho de sempre.

    Sheilinha - Que bom fico feliz em saber que você ficou mtoooo animada...rs. Beijoooos e obrigado pelo seu voto.

    ResponderExcluir

O Lua agradece sua visita, volte sempre.