16 de ago de 2012

CÉLULA TRANSFORMADORA



Anteontem assisti ao programa “A Liga” que passa na Band ás terças-feiras e não poderia deixar de fazer um post o citando. O programa abordou 2 padrões de vida completamente diferentes. De um lado a riqueza dos moradores de um bairro classe A de São Paulo (Morumbi) e do outro lado a pobreza e dificuldade da favela vizinha. (Paraisópolis). Há quem diga que programas como “A Liga”, são sensacionalistas e ganham suas audiências mostrando as mazelas dos outros, mas preciso discordar. O programa (pelo menos pra mim) sempre serve para me mostrar o quão a vida é contrastante mesmo. De vez em quando assistir a um programa como esse nos traz uma consciência que muitas vezes fica adormecida, nos mostra que existe uma pobreza tão grande que chega a ser constrangedora.

 O apresentador Otávio Mesquita foi convidado a passar 24 horas na favela com seu filho e realmente mergulhou na realidade daquela comunidade. Ele precisou batalhar o próprio sustento e de seu filho trabalhando em uma pizzaria fazendo de tudo um pouco, arranjar um local para passar a noite, pagar a diária de um quartinho (R$50,00) e conseguir comer.Como o dinheiro não era suficiente ele e o filho ainda precisaram trabalhar carregando sacos de cimento e telhas. Depois de longas horas mergulhado na realidade daquele lugar, Otávio teve uma crise de choro e desabafou para as câmeras: “ tive uma infância bem pobre também, passei necessidades e até engraxei sapatos, hoje meu filho vive em Paris, eu vivo muito bem com este outro filho em uma casa completamente blindada e jamais em toda a minha vida pude imaginar que um dia estaria andando por estas vielas. Ver tudo isto nos mostra o quão o mundo é difícil, duro e diferente. Agradeço a Deus tudo que sou e tenho porque é fruto de muito trabalho”.

 O que podia ser um discurso babaca e demagogo, pra mim soou como um desabafo de uma pessoa que vive uma vida completamente diferente das pessoas que vivem naquela comunidade e que se acostumou tanto com a riqueza e conforto que acabou criando uma “ilha de contentamento” e não tem tempo de pensar que existe um mundo muito diferenciado logo ali, virando a esquina. Visitando o twitter do apresentador ontem pude conferir que ele está ajudando o menino(Kayque) de 9 anos de idade que deu um depoimento de vida emocionante no programa. Muitas pessoas inclusive já se prontificaram em ajudar o menor.

Pra muitos que estão me lendo, pode parecer uma grande bobagem o que estou dizendo, mas eu desliguei a tv com os olhos marejados e agradecendo muito a Deus por ter uma cama confortável, um bom chuveiro pra tomar um banho decente, boas roupas, uma vida digna e sem passar por grandes dificuldades na vida. Muitas vezes reclamamos da vida (e isto é natural da maioria dos seres humanos) sem nos darmos conta que temos tanto pra agradecer e nos atemos sempre as nossas perdas, falhas e o que nos falta, sem conseguirmos mensurar de fato o quão abençoados por Deus nós somos por termos tantas coisas materiais (que para alguns nem sempre é tão perceptível como deveria ser).

A lição que fica pra mim: precisamos sair de vez em quando das nossas áreas de conforto e olhar para o lado porque sempre tem alguém precisando da gente. Precisamos valorizar mais o que somos, o que temos e o quão importante é ser grato pela vida que nos dá oportunidades que muitos infelizmente ainda não conseguiram atingir.

15 comentários:

  1. Realmente esses programas nos levam a pensar em ibope com mazelas alheias, por isso, é sempre bom estar aberto ao outro lado da questão. Esse que você transcreveu do seu ponto de vista. Temos muito a agradecer Edilson e muito, muito pouco a pedir. Graças a Deus.Conseguir se emocionar com isso.. é uma benção.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho absoluta certeza que por enquanto os profissionais deste programa são extremamente coerentes e mostram a realidade de forma muito verdadeira e sem maquiagens. A sociedade deveria dar mais audiência pra este programa e menos para
      novelas...rs.

      Beijooos, lindona.

      Excluir
  2. Amor, não é somente o fato de não querer ver o outro lado da moeda,pois convivemos diariamente com cenas de misérias. Quem não anda pelas ruas e não ver gente dormindo nas ruas, pedindo dinheiro, crianças vendendo doces nos sinais, etc? É uma cena tão comum que se tornou hábito,sendo assim a barbaridade só vem à tona quando é posta em confronto com outra realidade.

    O mundo é assim mesmo, um lugar triste, mas que ainda reserva o lugar para a felicidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente muitas pessoas tem a percepção das coisas ruins que vêem nas ruas, mas poucos se sensibilizam a fazem algo pra ajudar ou melhorar a vida daquelas pobres criaturas esquecidas pelo Estado e que vivem á margem da sociedade.

      Abraços, querido.

      Excluir
  3. Nunca assisti esse programa, mas tem uma perspectiva interessante, vou procurar assistir o próximo.
    abrços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ter certeza que é o típico programa que vai lhe agradar, algo me diz isto...rs.

      Abraços, querido.

      Excluir
  4. Esse tipo de coisa é muito boa para aqueles que adoram endossar máximas do tipo "pobre, mas feliz". Não existe graça na miséria, na falta de oportunidades e no prato vazio! Muito bom, my hero-friend! Se tiver reprise vou tentar assistir. Hugzones!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha realmente a pobreza em alguns níveis é constrangedora mesmo, assim como a riqueza em excesso também chega a me causar a mesma sensação.

      Procure assistir aos programas, você encontra edições inteiras no Youtube.

      Abraços, mysuperherofriend.

      Excluir
  5. Queridooooooooo! Mas é claaaaaaaaaro que eu mando!!! O endereço é o mesmo? Se for, na semana que vem estará aí na sua casa! ;) Confirma isso pra mim!
    Depois eu volto aqui pra te ler com a calma que vc merece, até porque espiei e vi que tá cheio de post legal! :D
    Beijo, beijo!
    She

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tava brincando gatona, você não percebeu o tom irônco??? Imagina, não precisa se dar ao trabalho...rs. Obs: Meu endereço é o mesmo, sim, mas relax baby...hahahaha.

      Beijos, lindona.

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkkk já que o endereço é o mesmo semana que vem tá chegando aí... agora me pergunta: se vc tivesse se mudado então eu não mandaria? kkkkkk :P
      Beijo, beijooooo

      Excluir
  6. Confesso que alguns programas da band são interessantes, mas passam tão tarde. Sou velhinho. Durmo as 22h30.

    Gato, vc estará por aqui? Dá um toque, ok?

    bjão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha eu acho que você tem toda razão. Alguns programas são muito bons, porém começam tarde e isto pra mim também é um fato negativo.

      Estarei aí sim, chego amanhã de manhã, encontraremos Bratz & Elian para irmos a feirinha da Calixto, mas de repente podemos marcar algo se vcs estiverem disponíveis sim, adoraria conhecê-los pessoalmente. Falo com Bratz amanhã e tentamos nos reunir, ok?

      Beijooo, procês..rs.

      Excluir
  7. Heleninha Roitman faz super meu estilo... hahahahaha! Hugz, my hero-friend! E ótimo findi pra ti e teu "pão francês"... hahahahaha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Você adoraaaa uma palhaçada, né?rss

      Abraços, mysuperherofriend,pode deixar q aproveitaremos bastante, aproveite por aí também com seu príncipe tb...rs.

      Excluir

O Lua agradece sua visita, volte sempre.