16 de nov de 2012

CONTO: FARSANTES (PARTE 3)


Já à noite a mansão dos Braga e Albuquerque está em polvorosa com a chegada de Rafael.
Eleonora  - Boa noite, Augusto.
Augusto – Boa noite querida, tudo bem?
Eleonora – Não tão bem como você, mas...
Augusto  - O que você quer dizer? ( o tom de Augusto já está mais alterado).
Eleonora – Nada, nadinha...rs eu apenas pensei que você esteja bem feliz em passar a noite em claro com o Sampaio...rs
Augusto – Não seja ridícula Eleonora, você sabe muito bem que passamos a noite revisando o processo da siderúrgica.
Eleonora – Não importa Augusto, já passou mesmo.
Augusto – Acho muito bom que se aceite os termos como eles são, até porque de onde você pensa que vem o dinheiro de suas joias e seus mimos caríssimos?
Eleonora – Não seja grosso Augusto, eu não mereço que você fale assim comigo.
Augusto – Basta, estou cansado e não preciso de um aborrecimento no momento, vou tomar meu banho no quarto de hóspedes
Neste momento ele sai e deixa a esposa atônita e chorosa, mas Eleonora logo enxuga as lágrimas, dirige-se ao closet e retira uma bonita caixa vinho de dentro do cofre e escolhe um reluzente colar de esmeraldas.
TOC TOC TOC
Eleonora – Pode entrar
Olívia – Com licença senhora, só passei pra avisá-la que a criadagem está a postos esperando pelo Sr.Rafael, a senhora gostaria de uma taça de champanhe enquanto se arruma?
Eleonora – Como você é gentil, Olívia, você é minha única amiga ( neste instante ela abraça a governanta e dá um suspiro profundo.
Olívia – Por favor D. Eleonora, não chore mais. Sua maquiagem está luminosa e este vestido lhe caiu como uma seda.
Eleonora – Difícil não ficar reluzente usando Valentino...rs
Olívia – Concordo completamente com a senhora...rs

Do quarto de hóspedes, Augusto entra em contato com o senador que é o principal acionista da siderúrgica.
Augusto – Alô, senador? Boa noite. Sim, perfeitamente. Eu e meu sócio ficamos profundamente felizes em lhe prestar este serviço. Claro, claro, sim com toda razão. Não há motivos do senhor se preocupar o sigilo é a arma do negócio sempre....hahahaha. Sim, o dinheiro foi depositado. Sim, claro, perfeitamente o dinheiro foi transferido para as contas fantasmas nas Ilhas Virgens. Obrigado, pro senhor também. Vamos aos falando.

Augusto sai do quarto enrolado em seu robe de seda e escolhe uma bela camisa de linho azul, calças cáqui e sorrindo pro espelho diz pra si mesmo:
“Augusto, você é um homem brilhante. O dinheiro lhe torna cada dia mais atraente, você é meu ídolo”....e dá uma risada estridente.
Descendo as escadas Augusto dirige-se ao living e junta-se a esposa que está reluzente em um vestido longo azul piscina e seu tremendo colar de esmeraldas e a filha Natalia que está um usando um terninho Dolce&Gabbana da última coleção.

20 minutos depois ouvem um buzinaço que soa estridente aos ouvidos e Rafael irrompe a sala de braços abertos, sorrindo e chamando pelos familiares. Os Braga e Albuquerque sorriem e se abraçam, um abraço longo, demorado e estranhamente feliz.
Depois que os afetos já foram reestabelecidos..

Rafael -  Que saudades de vocês, gente
Eleonora – Meu filho você tem que vir mais vezes ao Brasil
Natalia – Nem parece que ela esteve com você há uns 6 meses atrás...rs
Rafael – Ela não vive sem mim Nat, é este meu charme irresistível...rs
Natalia – Também quem mandou ser o queridinho dela....rs
Eleonora – Não fale isto Natalia, vocês são amados do mesmo jeito
Augusto – Mas o meu filho, como vão as gatinhas lá na Suécia? Dizem que as suecas são muito quentes...rs
Eleonora – Por favor Augusto, nos poupe destes comentários horrorosos
Rafael – Sim papai, as suecas são lindas de fato, mas o que, mas tenho feito é trabalhar....rs
Eleonora – Vamos mudar de assunto, por favor
Natalia – E os suecos, maninho?rss
Rafael – Olha maninha os suecos são todos loiros e anêmicos... hahahahah
Natalia – Eu sei que é mentira... rs
Eleonora – Os quadros foram todos vendidos no vernissage de Munique, meu filho?
Rafael – Quase todos, guardei um para a senhora...rs
Eloenora – Como assim, guardou...
Rafael grita por Olívia e a mesa entra no living carregando uma pesada tela envolta em uma capa de veludo verde
Rafael – Eu fiz esta tela especialmente pra senhora mamãe
Eleonora – OH meu filho, oh meu filho... Os olhos de Eleonora ficam marejados e logo algumas lágrimas lhe escorrem a face
Rafael – Eu o batizei de O Elogio ao Paraíso, esta mulher na tela é a senhora é ao seu lado estou eu e a Nat, representados por estes caules saindo do seu ventre
Eleonora – Que coisa mais comovente meu filho, estou sem palavras.
Neste instante ela abraça o filho muito comovida.
Augusto interrompe a cena idílica maternal e diz em alto e bom som:
“Eu tenho algo a dizer, estou faminto”
Todos sorriem constrangidos com a interrupção dele e dirigem-se lentamente a sala de jantar.

(continua)

Ilustração: Pierre Willemin

15 comentários:

  1. Hum... será que o Rafael e o pai vão trocar figurinhas? Já pensou, pai e filho ficando com o mesmo cara? Hahahaha!

    Aguardando...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peter:

      Será?rsss Quem viver, verá....hahahahah.

      Abraços e lindo fim de semana.

      Excluir
  2. pq eu me senti num romance de Agatha Christie desde as primeiras linhas? hehehe


    sobre seu comentario no meu blog:
    Ah, como me irrita quando alguém diz que SE EU QUISER eu posso mudar minha vida! Edilson, vc realmente acredita que eu não quero? Que eu acho bom, bonito e divertido passar por tudo que eu passo? Que eu não quero mudar porque acho mais interessante fazer o papel do intelectual melancólico e solitário? É isso, por acaso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foxx:

      Jura?rss Eu não me baseio em outros autores, mas acho que sou influenciado por outras pessoas com certeza...

      Sobre o meu comentário em seu blog eu não retiro uma vírgula do que disse...rs tudo que disse, digo com o maior carinho do mundo, pra você refletir.

      Abraços e linda semana.

      Excluir
  3. Edilson... rapaz, vc ta me matando de ansiedade. Eu leio um bom livro em duas sentadas...e capítulo por capítulo, ta me matando....rsrrsr

    Abraços querido e bom fds aos dois.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Margot:

      Segura a ansiedade porque vem muita coisa pela frente minha amiga...rs.

      Beijos e linda semana.

      Excluir
  4. ui! Este papys e este filhote ... hummmm! ... ansioso ...

    bjão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bratz:

      O que você tá pensando sobre eles? hahahahaha.

      Sò posso lhe adiantar que vem muita emoção por aí...rs

      Beijooos e linda semana.

      Excluir
  5. É baseado em fatos reais, Cravo? curioso... :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raphael:

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      MeoDeos, claro que não, são ideias mirabolantes em minha cabecinha doida..rs.

      Abraços e linda semana.

      Excluir
  6. Menino: esse conto colombo-mexicano (existe isso?... kkkkk) vai dar o que falar. Aguardando as cenas calientes que virão.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cesinha:

      Hahahahahah...colombo-mexicano foi the best...hahahaha.

      Aguarde as futuras emoções...rs

      Abraços e linda semana.

      Excluir
  7. Olha estava gostando muito, mas acho que ficou um pouco clichê, faltou um pouco de emoção,
    mas continuo interessado no desenrolar da trama eheheh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Frederico:

      Calma mocinho, espere o desenrolar da historia, fortes emoções a caminho.

      Abraços e linda semana.

      Excluir

O Lua agradece sua visita, volte sempre.