24 de jan de 2013

A GENIALIDADE DE CHABROL

Completamente maravilhado com os filmes que assisti do cineasta Claude Chabrol. Ele constrói histórias complexas, os seus personagens são bem desenhados e o mais importante ao meu ver as coisas que diz são acessíveis, as informações nos chegam e vão se revelando a medida que o filme transcorre de forma fluida e natural. Eu particularmente não gosto muito do gênero de cineasta que dá 4783857 voltas para contar sua trama. Não gosto daquele tipo de filme que parece o tempo todo querer desafiar nossa paciência, uma verdadeira guerra de nervos para desistirmos dele..rs

 Talvez o que tenha me atraído em Chabrol tenha sido a maneira franca e direta de nos contar suas histórias. Suas mulheres são deliciosamente loucas (pelo menos nestes 3 que assisti), não tem aquele tom oras açucarado ou excessivamente dramático dos filmes americanos, o espetacular Claude nos oferece um serviço classe A, sem pieguices e excessos.

 Um breve parecer sobre os filmes assistidos:

 A dama de honra (La Demoiselle D’honneur), 2004, França – Elenco – Benoit Magimel, Laura Smet, Aurore Clement, Michel Duchaussoy
 
 
O casamento da irmã de Philippe (Benoit) é o cenário ideal para que a Senta (Laura) envolva o rapaz que até então tinha uma vida pacata morando com as 2 irmãs e a mãe. A moça está determinada a fica com ele e para isto será capaz até de matar para provar seu amor por ele. Mais uma vez Chabrol nos mostra que tem absoluta atração por mulheres completamente loucas. Eu particularmente acho maravilhoso ver as mulheres completamente birutas de Chabrol...rs

 Um assunto de mulheres (Une affaire de femmes), 1988, França – Elenco – Isabelle Huppert, François Cluzet, Marie Trintignat
 
 
 Em uma França em crise nos 40 e a Europa sendo completamente dominada pelo horror dos nazistas a pacata dona de casa Marie( Isabelle) sofre para sustentar a casa, o filho e o marido que depois de voltar da guerra está de volta ao lar. Marie tem sonhos maiores, quer viver bem, quer ter condições de ser uma mulher rica e a maneira que encontra é tornar-se uma mulher que realiza abortos de maneira clandestina (quem cometia tal crime era passível de execução pelo governo).

O que vemos é uma mulher cada dia mais gananciosa e fria, ela realiza os abortos com muita freqüência, maltrata o marido ( Cluzet) que julga um homem fraco e incapaz de lhe oferecer a vida que sempre almejou e resolve encontrar prazer com um jovem que conhece na rua tornando-se amante dele. Uma mulher imoral mas que nos deixa a seguinte pergunta: o que é mais imoral ela matar futuras crianças que sofriam em uma França devastada pela guerra ou a própria guerra em si???

 Obs: Cluzet pode ser visto na recente produção Os Intocáveis( Intouchables) aclamado filme de 2011 pelos críticos e público com o excelente Omar Sy também no elenco.Vale ressaltar que Os intocáveis é o filme francês mais visto e de maior sucesso de todos os tempos no mundo.

 Mulheres diabólicas (La Cereminonie), 1995, França – Elenco – Isabelle Huppert, Sandrine Bonnaire e outros.
 
 
Uma pacata empregada doméstica (Sophie) faz amizade com a dona do correio local (Jeanne) e o que ela não sabe que esta amizade será algo que mudará totalmente sua vida. Jeanne (Huppert) nutre um sentimento horrível pela família que contrata os serviços de Sophie e ela fará de tudo para destruí-los. Sempre um prazer enorme ver a magistral atuação de Isabelle Huppert. Se os EUA tem Meryl Streep, o Brasil Fernanda Montenegro, a França tem Isabelle, vê-la em cena sempre é algo impressionante e neste trhiller não foge a regra.

Voilá...bons filmes garotos.

Beijos. Domingão tem mais Farsantes.
 

4 comentários:

  1. Gente que curte filme "alto padrão" é outra coUsa... hehehehe! 'Dorei as dicas, hero-cinéfilo-friend! Mega findi pra ti! Hugzones!

    ResponderExcluir
  2. Fred:

    Gosto de indicar coisas boas pra vcs honey, qdo eu gosto eu indico mesmoooo...rs

    Abraços mysuperherofriend.

    ResponderExcluir
  3. Adoro indicação de filmes e adoro filmes europeus, eles tem uma pegada totalmente diferente dos americanos, são mais profundos no sentimento, apesar de serem mais lentos, mas prefiro assim.

    Beijocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dama:

      Os filmes são maravilhosos pode procurá-los porque valem a pena mesmo...rs

      Beijos.

      Excluir

O Lua agradece sua visita, volte sempre.