28 de mar de 2013

VIVÊNCIAS


 
Admiro alguns casais que vejo (cada vez mais raros, devo confessar) que estão juntos há mais de 40 anos, dá vontade de parar e conversar com eles para saber a tal fórmula do sucesso da relação, o que fazem para manter as coisas nos trilhos, funcionando, qual é o segredo para nutrir um relacionamento tão longevo? Casos como os referidos acima estão escasseando nos dias de hoje porque um número elevado de pessoas são profundamente individualistas e egóicas. Não querem passar por cima de dificuldades, não querem discutir a relação, não querem ter trabalho no relacionamento, querem apenas a parte boa, muito sexo, momentos de descontração e relax, mas sabemos que um envolvimento amoroso não é feito apenas de coisas estritamente boas, não é mesmo?rs

 
Sim, nós precisamos aprender a conviver com os dias nublados também, nem sempre estamos perfeitamente felizes, realizados e sem problemas. Talvez na virtualidade possamos mascarar nossas vidas trajando roupas bonitas, rodeados de amigos brindando com algum drink , ou mesmo fazendo uma pose em frente algum ponto turístico famoso, mas no meio de toda esta ornamentação bonita e plasticamente impecável escondemos muitas vezes os nossos problemas. Muitas vezes quem vê de fora julga que a vida do outro é incrível e perfeita, mas não imagina quantas lágrimas e sofrimento ele possa esconder por trás desta fachada de felicidade explícita, não é mesmo?

 
A gente não consegue construir nada sólido e duradouro sem esforço e dedicação. Ninguém consegue atingir um objetivo sem perseverança e determinação. Alguns pensam que a outra parte sempre é a errada, a outra pessoa precisa fazer mais, dizer mais, ser mais e entra em um perigoso jogo de cobrança e insatisfação eterna. Eu particularmente acho complicado e quase inviável este joguinho de quem está certo ou quem está errado. Normalmente ambos estão certos e errados ao mesmo tempo, não temos e não devemos computar erros e acertos, porque de fato quem sai perdendo nesta historia toda é o amor e isto vai adoecendo pouco a pouco a relação, até que ele entra em estado de agonia e falecimento. Sim, o amor morre meus amigos, por falta de dedicação, de cuidado, delicadeza e carinho.

 
 O outro não nos chega pronto e vice-versa, ambos precisam trabalhar juntos a relação e pra isto é preciso suar a camisa. Não se constrói nada do dia pra noite, é um trabalho de formiguinha mesmo. Algo que alguém sabiamente disse e gosto muito de citar: “amar se aprende amando”. Não tem outra maneira. Para isto é preciso antes de mais nada saber controlar o ego. Quem costuma ter o ego inflado demais acaba esquecendo de perceber o outro porque se sente maior e melhor, um ser superior sempre certo e incrível. Mas as coisas não são bem assim não é, mesmo? A vida é feita de erros e acertos, de momentos de completa assertividade e coerência, mas também de destempero e desequilíbrio (o que nos torna perdidamente deliciosos...rs).
 
 Somos sim um mix de sentimentos e emoções, nem sempre estamos radiantes e nos nossos melhores dias, mas devemos sempre ter em mente que é preciso ter humildade, boa vontade, aprender e reconhecer nossas próprias falhas. Tem gente que nunca peça perdão, quem não reconheça os próprios erros e isto também é muito prejudicial para um relacionamento. De repente um simples gesto de pedir desculpas vira um caso de polícia...rs e sabem por quê? Porque o ego do outro é inflado demais para reconhecer que ele também erra, também falha. Quem aprende a reconhecer suas áreas de deficiências tem mais chance de se tornar um indivíduo mais feliz e harmonioso consigo e com o outro.
Particularmente acho superválido reconhecermos nossas falhas porque isto é um belo indício de amadurecimento e inteligência emocional.
 
Os relacionamentos duradouros estão rareando porque muitas pessoas não querem ter trabalho, dedicarem-se a coisa toda. Querem apenas o lado bom do outro, a alegria, o sexo a diversão. Não tem a menor vontade de batalhar para crescerem emocionalmente, estão bem, acomodadas em seus próprios mundinhos e vivem a vida de maneira hermética e medrosa. Muitas pessoas se sentem solitárias, mas não fazem o menor esforço para trabalharem seus egos inflados. Basta o menor sinal de crítica para se mostrarem arredias e ariscas. No primeiro sinal de provocação acabam atacando quem de fato poderia lhes ajudar. Tem pessoas que simplesmente são assim, só escutam e enxergam aquilo que as convém. Nem pense em contrariá-las ou mostrar algo que elas teimam em não querer ver. Para estas pessoas (parafraseando Sartre) “o inferno são os outros” e para elas de fato viver deve ser bem mais complicado do que para quem tem coragem de assumir as próprias dificuldades e buscar ajuda, seja em um amigo, um psicólogo ou mesmo no próprio parceiro.

 
 Alguns acreditam que está faltando homem ou mulher no “mercado” do amor, mas o que falta de verdade é gente comprometida, engajada e disposta a ter um relacionamento saudável, maduro e equilibrado. A oferta de sexo é grande, mas é apenas aquele fast-food amoroso de sempre, sem telefonemas no dia seguinte, sem convites para um jantar a luz de velas ou um final de semana idílico em uma praia, é o sexo pelo sexo, sem afetividade e vínculos maiores. Resta saber o que você quer de verdade e ir a luta..rs.

Obs: Imagens retiradas do Google.
Beijos e uma excelente Páscoa a todos vocês.

14 comentários:

  1. Acho que desde sempre as pessoas já eram assim, o que mudou foi que a sociedade começou a permitir a separação como uma saída viável, coisa que não acontecia no passado. Daí as pessoas não são mais obrigadas pelas circunstância a tentar mais uma vez e outra vez. Elas simplesmente se separam e seguem adiante.

    Mas se no passado as coisas fossem assim, eles se separariam do mesmo jeito. Acho que a questão é mais social do que propriamente das pessoas de hoje ou de antigamente.

    Beijocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcinha:

      Acho que é um pouco de cada coisa que disse. As pessoas não querem tentar, querem o fácil, o pronto, o instãntaneo..e nós sabemos que em se tratando de coisas de amor não é bem é assim, né?rs

      Beijos e lindo feriadão.

      Excluir
  2. Tenho a mesma vontade que vc. Por isso, uso e abuso dos conselhos de Bratz e Elian. Sugo tudo de bom. #dessas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raphael:

      Pois é meu amigo, somos incansáveis e inveterados românticos assumidos..rs

      Lindo feriado. Beijo.

      Excluir
  3. Bacana seu texto...
    Realmente é admirável esses casais conviverem tantos anos e manterem uma relação saudável.
    Hoje em dias, as pessoas não se prendem muito em relacionamentos admitindo que caiu na rotina.
    Abraços e boa páscoa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ro Fers:

      Admirável mesmo, né?rss Acho que são bravos guerreiros que lutam pelo amor todos os dias de suas vidas.

      Abraços querido e um excelente feriado.

      Excluir
  4. Acho que você disse tudo. Enquanto a maioria só quer sexo, a outra parte não quer ter trabalho nos relacionamentos. Aí fica complicado. Ou fica mais fácil dependendo do ponto de vista... rs

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Três Egos:

      Nè?rss Uns querem, outros não, a maioria anda confusa sem saber o que quer de fato, vejo que muitos querem é ficar na putaria mesmo, complicado e tenso..rs

      Abraços querido.

      Excluir
  5. Em um mundo onde cada vez mais o sexo se tornou tão banal e precoce, ter uma vida com o propósito de construir verdadeiramente uma relação já está sendo classificada como uma atitude “old School” ou “vintage”.

    É triste e até deprimente ver pessoas se sujeitando a uma verdadeira exposição carnal fazendo uso dos mais variados meios (Grindr, Manhunt, Bender, etc...) para simplesmente transar. E quanto mais precocemente mais “legal”.
    E é assim mesmo sem nome (ou se não com um nome falso), sem telefone, sem sentimento. Apenas um momento no dark room, uma penetração, suspiros, suores, aumento da pressão arterial, freqüência respiratória, dos batimentos cardíacos, a dilatação das pupilas, um orgasmo!

    Descargas de emoções do cérebro para o coração e para as artérias, gerando uma descarga de dopamina e serotonina. Ficamos agitados. O ato libera hormônios que promovem sensações prazerosas, podendo gerar expressões faciais e corporais. O mecanismo cerebral é idêntico ao de se viciar em cocaína



    Uma vez um amigo disse que “amar da muito trabalho!”, realmente da muito trabalho (e até algumas rugas rss) e disse a ele que se você ficar procurando razões pra não ficar com alguém, você sempre vai encontrá-las!

    Acontece que muitas vezes o maior problema é esse! sempre encontramos argumentos contrários. Somos mentirosos, preguiçosos, somos ladrões, somos viciados (em felicidade instantânea), não damos valor à nossa felicidade, guardamos rancor.

    Somos orgulhosos, luxuriosos, incrivelmente imperfeitos.

    Mas ainda acredito que é algo que vale a pena pois como vc disse “amar se aprende amando”, afinal cedo ou tarde, nossas imperfeições se revelam e vemos que toda aquela postura, todo aquele “mal” comportamento de nada valeu, que muito pouco adiou ... adiou aquela sensação que realmente “falta”, de que falta uma presença, alguém, uma pessoa que nos ousa paciente, que se importe, que faça a gente querer ser melhor...

    Alguém que ria de nossas piadas sem graça.
    Que ache nossas tristezas as maiores do mundo.
    Que nos diga elogios, mesmo quando não merecemos.



    O google diz que existem cerca de 7 a 8 bilhões de pessoas no mundo
    algumas estão tentando, algumas estão fingindo, outros somente ignoram.
    Oito bilhões de pessoas no mundo,
    Oito bilhões de almas...
    e ás vezes tudo que nós precisamos é apenas uma!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael:

      Uau...jura que você não tem blog??? Olha queria sinceramente dizer a você que seu marido é um cara de muitaaaa sorte por ter alguém tão sensível e lúcido ao lado dele.

      O mundo tá precisando de gente mais humana, real e possível.

      Parabéns por ser este cara tão bacana, o mundo agradece muitoooooo.

      Beijos e agradecido pelo seu belíssimo depoimento aqui no Lua.

      Excluir
    2. Meu querido vc é realmente muito gentil
      escutar isso hoje foi um alento, brigado :]

      mas então ... não tenho propriamente um "marido" digamos que tenho um "ficante" (Deus não acredito que usei essa palavra hahhaa) mas confesso que a ideia de matrimonio é um assunto constante na minha cabeça ¬¬

      talvez essa ideia seja por influencia de "The New Normal" (não brincadeira hahahaha) ou dos constantes casamentos que tenho ido atualmente, ... gente não passa um mes que não se tem no minimo um ou dois casórios pra ir (não aguento mais comprar presente de casamentos rsrs)

      mas enfim já avisei pra quele mocinho que até o supremo tribunal já liberol então... vou mostrar seu comentário pra ele (quem sabe não se anima :)

      grande abraço querido.

      Excluir
    3. Rafael:

      Estou na torcida para que seu ficante saia desta condição e oficialize o relacionamento de vocês então....rs

      Abraços querido e boa sorte hein....rs

      Excluir
  6. não sei vc, mas no meu mundo, o que eu mais vejo são pessoas com relacionamentos de anos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foxx:

      No meu mundo e no seu o que mais vemos é gente que desiste todos os dias de relacionamentos duradouros e consistentes, estamos todos no mesmo barco meu amigo, o ser humano está perdido em meio a tantas ofertas baratas de sexo grátis e acreditando na tal felicidade instântanea (que simplesmente não existe).

      Beijo.

      Excluir

O Lua agradece sua visita, volte sempre.