15 de jan de 2010

PORCARIA

Ela, filha de puta
Ele não conhece o pai
Ela, criada na rua
Ele, criado no barraco
Ela, mãe
Ele, filho
No meio de tudo
Uma televisão
Caixa de sonhos
Caixa de dor
Barraco
Barro
Abandono
Miséria
Ela, na "cozinha"
Ele, na "sala"

― Mãe, vem ver
Morreu um monte de gente
Terremoto no Haiti
Mãe, onde fica o Haiti?

― Num sei e nem quero sabê, diz a mãe

― Mãe, vem ver
O pai jogou a filha pela janela
Tentaram matar o papa
Tem fome na África também
Enchente pra todo lado
Mãe, vem ver
A filha matou a mãe
O pão vai aumentar
Puseram dinheiro na meia
O namorado estrangulou a namorada
Eles não se gostavam?
Tem uma fila de desempregados
Mãe, vem ver
Prenderam um inocente
Soltaram um culpado
Mas vai ter samba

A mãe diz:

― Desliga esta porcaria e vem jantá.

(Edilson Cravo)

12 comentários:

  1. sim ... desliga esta porcaria e vem jantar ...

    não preciso dizer mais nada ... como já ouvi esta frase e como a valorizo hoje ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  2. Como sempre, muito bom. Forte abraço.

    ResponderExcluir
  3. Queridos Paulo e J.M:

    A violência e alienação ficaram tão banalizadas, que cada dia estamos ficando mais insensíveis as bárbaries que nos rodeiam. Obrigado o carinho de sempre, lindo fim de semana...beijão.

    ResponderExcluir
  4. Tudo está muito rápido no mundo, inclusive as tragédias "/ Mas o importante é continuar seguindo...Bjao

    ResponderExcluir
  5. Não importa o que aconteça. É sempre a mesma porcaria. Porque a gente assiste? Talvez gostemos de porcaria. Talvez falta de opção.
    Mas samba? Quem não gosta de samba? É melhor desligar essa po**a!
    Estamos sempre aqui bju nosso. Hoje fui eu Alê que comentei, mas o Jay tá aqui do lado hehehehe
    Jay e Alê

    ResponderExcluir
  6. Edilson, já te falaram q vc tem cara de coelho?
    hehehe.

    Olha, achei o texto muito realista. Minha vó que gosta de ver todas as más notícias huahau.
    Eu as vezes me prendo a algumas, do tipo, quando alguem Isabela é jogada pela janela, ou quando alguma criança é preenchida por agulhas assassinas, ou quando alguma Suzana mata os pais por dinheiro.

    Agora dinheiro na cueca..essas coisas lá do planalto nem ligo..Deve acontecer coisas piores lá que nem ficamos sabendo.

    Bom vou lá que minha mãe ta me chamando pra jantar..

    Abraços..e sumido é você que nunca mais apareceu no meu blog tááá..rsrs.

    Dand.eu =^.^=

    ResponderExcluir
  7. Querido amigo Dil,
    desculpe-me pela ausência, estava viajando de férias conforme post do dia 5. Voltei.
    Obrigado pela força e pelo carinho
    Beijão

    ResponderExcluir
  8. hahahahahahahaha desculpa... sim, o cenário é triste, mas não me aguentei de rir aqui! :-P

    ResponderExcluir
  9. Queridos Rodrigo,Jay,Alê,Dand,Wanderley,Nicole e Mara:

    Que bacana saber que apreciaram o post. Quando escrevo, procuro pensar em agradar a todos. Nem sempre é possível, mas a idéia é esta. O que quis na verdade é trazer com este texto uma reflexão acerca da violência banalizada e em como estamos ficando resistentes a tantas mazelas que assistimos dia-após-dia. Linda semana a todos.

    ResponderExcluir
  10. Você sempre trazendo pra nós uma reflexão acerca da atualidade, você é fantastico!

    já é meu seguidor la? abs

    ResponderExcluir
  11. Querido Cris:

    Já sou seu seguidor faz tempo....rs Obrigado as palavras generosas honey..bjsss.

    ResponderExcluir

O Lua agradece sua visita, volte sempre.