29 de mai de 2010

A MATEMÁTICA DO AFETO



Sempre me questiono sobre a matemática do afeto. Como se processa esta contabilidade de sentimentos?Os sentimentos podem ser equacionados? Será que recebo o que dou em troca? Ou recebo simplesmente aquilo que me é de direito? Poucos de nós pensam em doação sem recompensa, em fazer sem esperar nada em troca porque normalmente não é assim que sentimos as coisas na maioria das vezes. Muitas pessoas já me disseram que é preciso aprender a não esperar nada em troca. Que devo simplesmente fazer, mas não esperar um retorno. Mas viver sem este retorno não é se conformar com migalhas? Quantos de nós já não vivemos relacionamentos pobres afetivamente falando porque acabamos acreditando que não deveríamos esperar nada em troca? Dizem que não devemos viver de expectativas, pois quanto maior a expectativa maior a frustração. Mas sinto que na teoria é de um jeito e na prática não funciona tão perfeitamente assim. O que pude perceber ao longo desses anos é que todas as pessoas de forma direta ou indireta estão sim esperando um reconhecimento do outro,uma aprovação, uma aceitação mesmo de forma inconsciente. Isso remonta na infância quando queríamos de alguma forma ser aceitos por nossos amiguinhos de escola, queríamos nos inserir, fazer parte do todo. Hoje percebo que mais difícil do que não ser aceito é não se aceitar. Talvez quem nunca tenha se aceitado de verdade não tenha desenvolvido dentro de si a capacidade de doação. Muitas pessoas aprendem a doar o melhor delas mesmo quando não receberam afeto quando crianças. Eu por exemplo, não tive pai, nem a figura paterna de algum parente em casa, mas mesmo assim consegui trabalhar a ausência de maneira a ser uma criança sadia e feliz. Recebi amor da minha mãe, tias e avós e aprendi a desde cedo a compartilhar este amor com os demais. È possível ser feliz mesmo sem a figura de um pai. Talvez fosse muito mais difícil sem a figura de uma mãe. Quando aprendemos desde pequenos a desenvolver estas habilidades emocionais na idade adulta conseguimos ser adultos mais disponíveis a receber e doar. Quando falo em doação não me refiro somente ao amor propriamente dito, mas quaisquer outras manifestações de sentimentos. Desenvolvemos uma capacidade de olhar o outro porque aprendemos a nos olharmos primeiramente. Escuto com muita freqüência amigos e conhecidos reclamando da dificuldade de encontrar pessoas disponíveis a se relacionarem de forma sadia e madura, que hoje em dia virou uma grande loteria encontrar a tal alma gêmea e lhe digo algo por experiência própria : “quem não conhece bem a si mesmo, inviabiliza as chances de conhecer o outro”. Preciso ter um conhecimento minucioso da minha essência, dos meus sentimentos para depois me dispor a conhecer alguém. Preciso ter uma relação harmoniosa comigo mesmo para poder desfrutar da fantástica viagem de conhecer uma pessoa. As pessoas saem para as baladas por n motivos, mas muitas vezes saem ávidas para conhecerem outras, beijarem, transarem e nada mais. Reclamam muito que está difícil encontrar alguém sério, alguém bacana o suficiente para trocar algo a mais que apenas alguns beijos ou um sexo rápido e furtivo, mas quem sabe de fato o quão elas está disponíveis? Muitas vezes fica aquela vontade de ligar no dia seguinte, mas algo dentro de mim me diz para não fazê-lo, o que o outro vai pensar?Vai pensar que estou desesperado e carente, vai pensar que sou grudento e lá se vai uma chance de conhecer alguém bacana e quem sabe tentar algo mais consistente. São os medos que imobilizam o homem, são os medos que boicotam a felicidade.Graças a Deus superei todos esses medos porque aprendi a entender melhor a dinâmica do amor mas já sofri muito no passado. Muitos amigos dizem que na balada não é o melhor lugar de encontrar um verdadeiro amor mas onde seria este tal “lugar perfeito”? Não podemos esquecer que passaremos a imagem que queremos passar? Mas qual a imagem que queremos passar? Um cara ou uma garota que beijam 10 na balada podem até vir com o discurso fácil e pronto: “ta difícil achar alguém afim de algo sério”, mas provavelmente não passarão a menor credibilidade. Obviamente que todos nós(com raríssimas e honrosas exceções) tivemos, temos ou teremos(rs) a fase galinha de ser, mas com o tempo e a temida maturidade(rs) aprendemos a separar o joio do trigo, o fervo, do planejamento da casinha branca com janelas azuis no alto da colina(rs). No fundo acho que o que todo mundo quer é ser feliz acompanhado ou sozinho, mas até onde alguém consegue lidar com a matemática do afeto? Algo que percebo hoje com muita clareza e depois de alguns anos de sofrimento (bobo e infundado) que por mais incrível que eu seja com os meus amigos, familiares, colegas e parcerias amorosas é que NUNCA serei aquele modelo de perfeição idealizado na cabeça de alguns e eles vice-versa. Quando aprendi a lidar com as minhas limitações, com minhas áreas de conflito pude entender melhor a psique humana. Jamais seremos perfeitos, porque simplesmente não existe este conceito por mais que insistam em criá-lo.O conceito da perfeição foi inventado para tornar os homens mais infelizes. Quando nos deparamos com nossas dificuldades e limitações, aprendemos a ser mais generosos conosco e consequentemente com o nosso semelhante. Esta percepção das coisas demorou pelo menos uns 30 anos para acontecer e hoje me sinto um cara bem mais feliz porque não exijo de ninguém aquilo que não tenho a capacidade de doar e que é um conceito tão subjetivo que cada um avalia a sua maneira. Fico feliz em saber que não existe a PERFEIÇÃO e que sou um cara apenas tentando ser feliz com meus tropeços e acertos tentando de alguma forma passar uma mensagem de amor e otimismo aos meus. O que gostaria mais do que tudo é deixar aqui um texto de reflexão de um cara que já passou dos 30 que ainda sente medo de muitas coisas, mas de alguma forma sente a necessidade de passar aos amigos um pouco das próprias experiências. Os sentimentos não devem(ou não deveriam) ser contabilizados, porque não é um negócio, não é um jogo de sorte(ou azar) mas sim uma grande troca de experiências de vida, troca de energias boas, trocas de vida.Ao longo desses 07 meses de existência de blog tenho trocado experiências riquíssimas e sem preço com muitos de vocês portanto nada mais justo que propor a cada um 2 perguntinhas simples: 1) Quais são as coisas que não tem tem preço na vida de cada um de vocês? 2) Qual seria o melhor lugar para encontrar o verdadeiro amor? Espero ansioso a resposta de vocês. Bjsssssssss.


Coisas que não tem preço:
1) Deus 2) Meu amor(little shell), família e amigos 3) Saúde 4) trabalho 5)Paz 6) Risadas 7) Festa 8) Pizza..rs 9) Cervejinha 10) Música e filmes 11) viagens



O verdadeiro amor acontece dentro de nós mesmos.A partir do momento que me amo estou apto a amar o outro. Seja na rua, na chuva ou numa casinha de sape acabamos inevitavelmente encontrando a tal parceria afetiva tão desejada.

18 comentários:

  1. "O verdadeiro amor acontece dentro de nós mesmos.A partir do momento que me amo estou apto a amar o outro. Seja na rua, na chuva ou numa casinha de sape acabamos inevitavelmente encontrando a tal parceria afetiva tão desejada."

    Foi assim que aconteceu na minha vida e assim perdura até hoje ... só 35 anos

    Magnífica contextualização

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  2. Vale eu dizer q vc, ao mesmo tempo que me animou, acabou com minhas expectativas?? hahaha

    Mas, "um dia, eu estarei seguro, como as pessoas que eu vejo em seus trigésimos aniversários"

    O amor não é um filho da puta, né? Filho da puta são as pessoas q a gt ama!

    Eu, com toda a experiência dos meus 20 e poucos anos, acho q uma coisa q não tem preço sou eu. Minha felicidade, minhas opiniões, meus sentimentos... Tenho visto q ninguém tem o direito de me fazer mal (prepotência, hun?).
    E o amor, sei lá... pode aparecer na fila do ônibus!

    Vontade de estampar seu texto num outdoor, pra todo mundo ler!! Parabéns!!

    Abço ^^

    Vixe! Escrevi pra caramba!

    ResponderExcluir
  3. O amor é complicado, sofrido mas muito bom!
    Amo amar, mas ás vezes odeio, mas na maioria do tempo amo!
    abraço e ótimo texto!

    ResponderExcluir
  4. OLá!concordo com o Paulo.Começa dentro da gente e dai flui para os outros...
    Mas penso que nos decepcionamos na mesma proporção das nossas ilusões e que devemos ser fieis ao tipo de amor e relacionamento que podemos oferecer.Acho que são "regrinhas" que dão uma certa segurança pra não ser detonado e nem detonar ninguém.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  5. muito lindo...
    confesso, estou aprendendo a amar

    ResponderExcluir
  6. Tremi lendo esse texto. Vi muita coisa de mim nele, e em alguns momentos pareceu até que eu é quem estava digitando o.o. Medo.

    Mas enfim:

    Primeiro: 1) o exercício da minha liberdade. 2) o exercício da minha insanidade, sem represálias 3) o respeito as minhas decisões

    E segundo: O verdadeiro amor pode aparecer até na fila no açougue, depende da sorte e das circunstâncias XD

    Beijos Edilson!

    ResponderExcluir
  7. Muito interessante seu texto.. Reflete, em muito, meu ponto de vista...
    Ando me sentindo extamente como vc: imperfeita, mas não sei se estou lidando bem com isso.
    As pessoas cobram muito... Ninguem dá nada sem eesperar receber... e a´]inda há aqueles que não dão nada e mesmo assim ficam esperando. Talvez seja um modo um pouco mais frio de viver: não cobro muito, mas tb não dou... Complicada essa vida...
    Todo mundo em busca da chamada alma gêma"...rs;. Pena que não exista.
    bjo

    ResponderExcluir
  8. oi Lua,seu texto me fez pensar em muitas coisas, e concordo com o comentário do Paulo.acho que vou aproveitar pra agradecer, esse texto me fez rever coisas que não considerava tanto ...
    abraços.

    ResponderExcluir
  9. Queridos:

    Paulo - Obrigado por sempre vir aqui e sempre me deixar uma mensagem carinhosa e de otimismo.Pessoas como você enriquecem demais o blog.Bjão e fica com Deus.Linda semana.

    Theo - Que milagre vc por aqui, que bacana..fiquei feliz...rs.Então menino é isso ai a gente precisa aprender a se conhecer e conhecer o outro e nem sempre isso é fácil mas é superprazeroso.Bjão e linda semana.

    Vanderson - Obrigado o carinho e a presença constante.Fico grato por sua gentileza e delicadeza.Bjão e linda semana.

    Robson - Querido, seja muito bem vindo e espero que venha sempre aqui.Falo para os amigos que este é um lugar de encontro de ídéias e carinho.Linda semana...abraços.

    Mauri - Queridão, o importante é termos humildade em querer aprender né?rss.Linda semana..beijoooo.

    Lobo - Que bom que você conseguiu se identificar.È maravilhoso saber que as pessoas me entendem e comungam do mesmo espírito.Linda semana...beijoooo.

    Celline - Obrigado o carinho e seja muito bem-vinda.Muito bom saber que o texto gera impacto e leva a reflexão dos leitores.Sempre digo que minha proposta é trazer emoção,reflexão e alegria aos queridos que aqui vem.Venha sempre...beijooooo e linda semana.

    André - Que bom querido que você consegue captar a mensagem e agregá-la a tua vida, ao teu coração.Sempre há tempo de ser feliz e rever conceitos,basta apenas um pouquinho de boa vontade e a vontade maior de buscar a felicidade pessoal.Linda semana...abraço grande e volte sempre.

    ResponderExcluir
  10. Oi Edilson, tudo bem?
    Se quisermos amar, é preciso que nos amemos primeiro.
    Ótimo texto querido.
    E concordo com o seu comentário. O preconceito só dificulta mais a transmissão de amor.

    Ah, estou participando do concurso Top Blog 2010, se vc puder vota em mim, é só clica no link que tem em meu blog e confirmar seu voto através do e-mail que irá receber. Obrigado.

    Bjo
    :)

    ResponderExcluir
  11. nossa, texto gostoso de ler, verdadeiro, música linda... bom d+ aqui. xeru

    ResponderExcluir
  12. 1 + 1 = 2
    e assim começa uma linda história de amor

    ResponderExcluir
  13. Queridos:

    Dil - Realmente precisamos vencer as nossas próprias dificuldades se de fato quisermos encontrar a felicidade ao lado de uma pessoa. O processo é lento e mto pessoal. Na minha opinião, o mais importante de tudo é q haja boa vontade de ambas as partes. Em relação ao concurso, espero q vc tenha mto sucesso. Abraços, querido.

    Inside Me - Que bacana! Espero que vc volte sempre. Grande bj.

    Serginho - É isso aí. O importante é darmos início à história, não é mesmo? rs Abraços

    ResponderExcluir
  14. Oi amigo, cá estou eu, parece até que estaav distante de tudo e de todos.
    Sabia que você é meu anjo da guarda?

    Já tinha lido teu texto, visto o vídeo, até comentei contigo no trabalho, mas como estava fugindo de tudo e de todos (menos de você e da Cláudia...rsrs), nem comentei.

    Mas eu sempre fico boquiaberta com o que você escreve, mas confesso que ouvir você falando comigo lá no trabalho, só me completa mais e mais.

    Tenho um carinho do tamanho do universo por você.

    Coisas que não tem preço pra mim:
    1) Meus filhos
    2) Meus amigos verdadeiros
    3) O ar que respiro
    4) O brilho do sol no amanhecer
    5) Meu trabalho
    6) Dançar (músicas)...rsrs
    7) Amar e ser amado

    Hummmm...melhor lugar pra encontrar o verdadeiro amor????

    Numa viagem espacial...rsrs.

    Beijos e um delicioso feriado emendado...coisa boa.

    ResponderExcluir
  15. Querida Majoli, tenho ctz de que todos nós nesta vida temos uma missão. É mto bom qdo a gente descobre a nossa, percebo q através das coisas q digo e q escrevo, consigo atingir mtos corações. Fico profundamente feliz e grato a Deus por Ele ter me dado esta capacidade. Acho q todo mundo precisa de um afago, de uma atenção, de amor, portanto procuro distribui-lo da forma q posso. Estou megafeliz em saber q minhas palavras lhe causam bem. Bjão e maravilhoso feriado...coisa óoootima

    ResponderExcluir
  16. Origado pela visita e aqui retribuo mais uma vez a este espaço tão bonito

    Linkado e seguido
    Abração

    ResponderExcluir
  17. Vejo que é cadavez mais facil rotular e cada mais mais dificil entender.

    Bjs
    Insana

    ResponderExcluir
  18. Este teu texto é impressionante...tens tanta razão rapaz!
    O dar sem receber não resulta durante muito tempo, não tem vida longa...vai nos consumindo, criando inseguranças,dúvidas, dor...
    É preciso receber em troca para ser saudável!
    Mas nem todas as pessoas são capacitadas para o fazer, como muito bem escreveste...

    Respondendo às tuas perguntas...

    Coisas que não têm preço - o sorriso de alguém de quem gostamos, o sapateado no estômago

    O melhor lugar para encontrar o verdadeiro amor - dentro do peito, na alma

    =)

    Abraço

    ResponderExcluir

O Lua agradece sua visita, volte sempre.