24 de jul de 2011

LUA ENTREVISTA

Hoje o blog tem a honra e felicidade de entrevistar Luiz André Moresi que é o primeiro homem a casar com o seu companheiro depois de aprovada a lei pelo Supremo Tribunal Federal que reconhece a união estável entre iguais(homossexuais) no Brasil. Gentimente Luiz André nos concedeu essa entrevista em sua apertada agenda para vocês queridos leitores do Lua. Espero que curtam e conheçam um pouquinho mais sobre esse ser humano fantástico que ele é.
Beijooos.

1) O que mudou de efetivo depois da aprovação que legaliza a união estável entre pessoas do mesmo sexo?
Fomos reconhecidos como uma família e passamos a ter os mesmos direitos que um casal heterossexual. Porém faltou na decisão do STF o reconhecimento do casamento civil, que só conseguimos com a interpretação do juiz de Jacareí e do Ministério Público, que podíamos converter nossa união estável em casamento civil.

2) Como tem sido a repercussão de seu casamento com seu companheiro (Sérgio)? Como a sociedade tem reagido?
A repercussão foi mundial, há matérias em jornais de todas as partes do mundo e em várias TV internacionais foram exibidos vídeos do nosso casamento. Emissoras de TV de todo país estiveram presentes, fotógrafos e jornalistas foram dezenas, e recebemos ligações telefônicas para entrevistas de jornais e rádios do país inteiro.
Nossa sociedade é diversa e recebemos os parabéns e mensagens de apoio de milhares de pessoas de toda parte do Brasil. Em sites, blogs e redes sociais há mensagens de apoio e também de reprovação. Para todos dizemos que somos felizes, somos uma família e queremos que o princípio da dignidade humana, presente em nossa Constituição Federal, seja respeitado.

3) A mudança do Legislativo reflete a mudança da sociedade ou é precipitada tal afirmação?
Não houve mudança no legislativo, de certa forma até retrocesso. Não aprovaram o casamento civil e nem a lei que criminaliza a homofobia. Nenhuma atitude concreta foi tomada pelo legislador a fim de garantir direitos e cidadania da população LGBT. Foi o poder judiciário, mais precisamente o Supremo Tribunal Federal que garantiu através de uma decisão histórica o reconhecimento das uniões homo afetiva como entidade familiar, garantindo a união estável para esses casais com os mesmos direitos que os heterossexuais. Um juiz e promotor de Jacareí que entenderam que também teríamos direito ao casamento civil e converteu nossa união estável, baseado no artigo 226 da Constituição Federal. O Congresso Nacional, deputados e senadores, estão em dívida com a população LGBT.

4) Como enxerga o preconceito?
Preconceito é a falta de amor ao ser humano. Tratar com maldade, com desrespeito e desprezo outra pessoa só porque ela não é igual a você, não faz parte do seu grupo social ou não é da mesma cor e raça, não pensa como você ou tem uma orientação sexual diferente que a sua, quer dizer que você tem dificuldades de viver em sociedade e que precisa se educar. É assegurado na Constituição Federal o princípio da dignidade humana e que todos somos iguais perante a Lei. Agir com preconceito e discriminação é inclusive ir contra nossa Carta Magna.

5) Como acha que a família deve reagir ao saber/descobrir a orientação sexual de seu filho(a)?
Não maltratar e nem discriminar. Acolher com carinho e amor. Buscar informações com grupos, ativistas, outras famílias que passaram pela mesma situação e souberam vencer os obstáculos que uma descoberta dessas ocasiona, muito mais pela falta de informação do que por preconceito. O amor da família é primordial para que a pessoa que se descobre homossexual tenha forças para suportar a discriminação e a homofobia presente na sociedade. Dialogar sempre e se colocar no lugar um do outro. 

6) Conte-nos  um pouco sobre seu papel na ONG Revida (Jacareí/SP). A quem ela se destina?
Sou o presidente e o Sergio é diretor. Coordenamos todos os trabalhos e projetos. Eu passo o dia administrando a ONG, organizando os eventos, coordenando projetos. A ONG REVIDA é uma entidade sem fins lucrativos e tem como Missão “Promover a cidadania LGBT e a defesa dos direitos humanos através de ações transformadoras, mobilizadoras, informativas e educativas na sociedade” e nossos valores são a “Ética, a Organização, a Transparência e a Responsabilidade Social”.  Em nosso site pode-se acompanhar todas as nossas ações: www.revida.org

7) Qual a sua opinião sobre as Paradas? Precisam ser mais politizadas?
As Paradas são politizadas, principalmente quando são organizadas por entidades e grupos militantes do movimento LGBT. Elas têm tema, fazem reflexão sobre as questões sociais, reivindicam direitos que são negados, tem faixas e cartazes com frases de efeito, tem discurso político de abertura, geralmente Semanas da Diversidade Sexual antecedem as discussões. Mas a maneira como fazemos é diferente de uma greve, de uma marcha ou passeata. Utilizamos dos símbolos culturais presentes nos meios de sociabilidade LGBT, como a figura das drag queens, dos DJs e cantores, de gogo boys, bandeiras do arco-íris e muita alegria. As pessoas que participam é que precisam perceber que estão fazendo parte de um movimento social, que ali é espaço para manifestarem seus desejos de uma sociedade mais justa e igualitária, sem preconceito, intolerância, discriminação e homofobia.

8) Qual a conduta que um gay deve ter ao sofrer homofobia?
Infelizmente a homofobia não é criminalizada no Brasil. É preciso que consigamos aprovar no Congresso Nacional uma Lei para tornar crime a homofobia praticada contra a população LGBT. Em São Paulo temos a Lei 10948/2001 (outros estados possuem leis semelhantes), que pune administrativamente, com multas, a prática discriminatória. Uma pessoa LGBT que for vítima de atos discriminatórios deve procurar a polícia, fazer boletim de ocorrência, denunciar em órgãos de defesa da cidadania e Direitos Humanos, deve ligar para o Disque 100 do governo federal e também procurar alguma organização LGBT em sua cidade ou região.

9) Qual sua opinião sobre as recentes declarações homofóbicas dos deputados Jair Bolsonaro e Myrian Rios?
São declarações homofóbicas e devem ser rechaçadas por toda a sociedade. Esses fundamentalistas não merecem nossa atenção e precisam ser cassados porque estão acima de tudo ferindo o princípio da dignidade humana.

10) O fato de alguns programas mostrarem os gays de forma estereotipada não reforça ainda mais o preconceito?
Sim, porque só retrata uma face do universo da população LGBT, que é muito diversa e que não merece receber tratamento de deboche e achincalhamento. Temos pessoas LGBT em todas as áreas profissionais, em todas as classes sociais e nas mais diversas situações que vivenciamos.

11) A escola tem cumprido seu papel ao ensinar as crianças e jovens a aprender a conviver com as diferenças ou isso precisa partir da família?
É função da família e da escola. E da comunidade também. Educar os filhos e filhas com princípios éticos, de respeito e convivência pacífica e harmoniosa com as diversidades é essencial e deve estar na prática cotidiana da família. Ter uma escola inclusiva, que saiba dialogar sobre as diferenças humanas, e que eduque as crianças, adolescentes e jovens, levando-os ao convívio escolar e comunitário sem preconceito e discriminação é objetivo que necessita ser alcançado por todos.

12) Deixe uma mensagem final aos leitores do Lua.
Construir um mundo bonito e gostoso de viver deve ser sempre o nosso objetivo. Praticar a gentileza, desejar o bem do outro, ajudar a quem precisar, colocar-se a disposição para as boas ações, voluntariar-se nos projetos sociais, deve ser o nosso mantra diário. Vamos levantar a cabeça e fazer da nossa vida energia positiva que com nossas ações vai possibilitar uma sociedade sem preconceito, discriminação, racismo, machismo e homofobia.

Foto: arquivo pesssoal

11 comentários:

  1. Perfeito. Finalmente a porta foi aberta.
    Talvez daqui a alguns anos, não muitos, haverá não penas casais, mas famílias formadas por dois homens e duas mulheres, e seus filhos felizes. Sempre há um primeiro passo, e esse passo foi dado por este casal.

    Agora volte ao blog MEIO A MEIO e comente o texto da Amy Winehouse.

    ResponderExcluir
  2. oi querido
    não fica triste eu sempre passo mas nem sempre comentava porque o tempo tem sido corrido pra mim estes dois meses, mas agora estou conseguindo colocar aos poucos tudo em dia!
    sobre a entrevista... adorei e que bom que temos pessoas como ele no mundo ainda que fazem valer a palavra diferença

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Mas q luxo o Edilson gente! Parabéns ... muito boa mesmo a entrevista ...

    ResponderExcluir
  4. Entrevista PERFEITA!

    Acompanhei de perto a cobertura do casamento dele e fiquei feliz pela coragem que eles tiveram em enfrentar todos os obstáculos para garantir o direito deles de cidadão.

    Ah! tbm gostei MUITO da última pergunta feita na entrevista, bem como a resposta dada. Eu penso de forma semelhante.

    bjoxxxxxxxxxxx querido!

    ResponderExcluir
  5. Você sabe conduzir muito bem uma entrevista, perguntas excelentes.
    Amei as respostas.
    Parabenizo ao casal, desejando muitas felicidades.
    E pra você, amore mio, um beijo enorme cheio de saudades.

    ResponderExcluir
  6. Que legal Edilson, parabéns pela entrevista, acompanhei nos noticiários, mas foi muito bom poder ver a posição do Luiz André sobre os aspectos abordados.

    Mais uma vez, parabéns. =)

    Beejo,beejo. Tenha uma bela semana.

    ResponderExcluir
  7. Alto nível, hein?
    Tô com inveja desse seu furo... hahahaha!
    Hugzão, Mr Hero!

    ResponderExcluir
  8. Luxo, podê, gramú e MAGIA!!!! Hahahahah! Hugzão!

    ResponderExcluir
  9. Queridos:

    Euzer Lopes - Espero que esse seja o marco de um futuro bom e de novas conquistas para toda sociedade. Abraços e linda semana.

    Serginho - Não tô triste não, é que você sempre foi um fiel seguidor e andou sumido...mas entendo seus motivos, a vida anda megacorrida mesmo. Linda semana. Abraços.

    Paulo - Fico megafeliz em ter conseguido a entrevista e mais feliz ainda em receber a visita de pessoas tão queridas como você no Lua. Linda semana. Abraços.

    Diogo - Muito obrigado pelas palavras sempre tão elogiosas. São pessoas como você que me estimulam a manter o blog sempre bacana e vibrante. Linda semana. Abraços.

    Majoli - Obrigado lindona por sempre incentivar a mim e ao Lua com palavras tão afetuosas e estimulantes. Sua presença sempre é muitooo importante. Linda semana. Beijoooooos e sds.

    Ana - Que bom que a entrevista teve uma repercussão tão positiva. Luiz é um claro exemplo que nunca é tarde para acreditarmos em dias melhores, uma sociedade mais justa e coerente. Linda semana. Beijoooooos.

    Fred - kkkkkkkkkkkkkkkk você não existe hein...rs Linda semana myhero poderoso e gramuroso...rs. Abraços.

    Rodrigo - Gostô guri???rs Abraços e linda semana.

    Fred - Obrigado sempre e sempre pelo carinho. Você é uma figura especial na blogesfera. Abraços myhero.

    ResponderExcluir
  10. Simplesmente sensacional a entrevista e as respostas! Adorei mesmo! Achei inteligente a pergunta de nº10 e concordo totalmente, a TV brasileira sempre mostra os gays de forma estereotipada e acho sim que é incentivo para o preconceito... Beijo, beijo e felicidades ao casal! ;)
    She

    ResponderExcluir

O Lua agradece sua visita, volte sempre.