14 de fev de 2012

VERNIZ



As questões podem ser facilmente solucionadas a partir do momento que assumirmos um compromisso com o que acreditamos ser a nossa verdade. Infelizmente muitos ainda usam o tal “verniz” social para serem aceitos. Mostrar quem você é de fato e sua essência tem um custo alto, mas é bem melhor do que passar a vida inteira fingindo ser quem não é. Quantas pessoas levam a vida inteira para entender que a ilusão é a grande inimiga da honestidade. Quando eu passei a ser mais íntegro com os meus sentimentos deixei de aceitar muitas coisas que me faziam sofrer. Quase todo mundo um dia buscou ser amado e aceito, mas nem sempre as coisas são tão fáceis. Muitas vezes (quase sempre) não conseguimos atingir as expectativas alheias. Nem sempre o mundo é tão fácil, nem sempre encontramos as portas abertas, mas precisamos acreditar que somos merecedores de coisas bacanas, sim, basta cada um fazer a sua parte. O amor nem sempre vem do jeito que a gente espera. Alguns passam a vida inteira sem receber o afeto desejado, mas cabe a cada um buscar o amor dentro de si mesmo. Cada um busca de alguma forma e de algum lugar.  No meu caso busquei “nomear” pessoas para serem a minha “família de mentirinha” uma vez que não tive (aquela família tradicional) que a maioria tem ou teve. Antes eu não enxergava isto, mas hoje isto é tão claro. A maturidade e a vida me trouxeram isto.

Precisamos ter a consciência que nem sempre as coisas acontecem do jeito que gostaríamos que elas acontecessem. Quantas vezes você pode ter tentado em vão ser bem quisto ou amado por A ou B pessoa ou grupo? È preciso ficar claro que quando alguém nos rejeita, rechaça; esta pessoa ou grupo não se identificou com a imagem que viu. Digo imagem porque o primeiro contato foi o visual e isto é apenas a camada externa e primária em questão.

Infelizmente os pré-conceitos que muitas vezes fazem de nós ou fazemos dos outros, determina o rumo das coisas. Talvez isto nos impeça de conhecermos melhor alguém e descobrirmos quão bacana poderia ter sido, quão interessante seria para ambos agregarem experiências diversas de vida sem nos apegarmos a aspectos meramente físicos.

Infelizmente muitos observam questões meramente superficiais quando conhecem outras pessoas. Dizem que a primeira impressão é a que fica, mas acredito que o “verniz” social muitas vezes impede que tenhamos uma visão tão clara e honesta quanto gostaríamos. O ser humano é um complexo de sentimentos, um verdadeiro mosaico de características.

Minha vó adorava lançar mão de algumas frases de efeito e acho que realmente era uma mulher muito sábia. Ela sempre utilizava duas em especial: “NEM TUDO QUE RELUZ È OURO” e “POR FORA BELA VIOLA, POR DENTRO PÃO BOLORENTO”. Ela queria dizer com tudo isto que não devemos julgar um livro por sua capa. A capa é tão pouco, é quase nada. Precisamos ter a coragem para lê-lo e desvendá-lo. Sinto que falta muitas vezes coragem e disposição para “lermos” o outro de verdade.

Ler o outro demanda tempo, paciência e sabedoria e por vivermos em um mundo extremamente imediatista tudo que leva mais de "5 minutos" passa a ser enfadonho...rs. Infelizmente vamos criando idéias equivocadas das pessoas. Algumas preferem passar a vida representando um papel que não é o delas. Preferem inventar uma persona que em nada corresponde com a verdade nua e crua. Muitos investem pesado na parte externa e esquecem da interna. Beleza é muito bacana mesmo, mas se vier acompanhada de inteligência e caráter o “pacote” fica completo. Os “big brothers” da vida me fazem pensar exatamente sobre o verniz social que cada indivíduo se impõem ou não..rs. De repente algumas pessoas se submetem a serem filmadas e “vigiadas” 24 horas e podem vestir a “persona” que melhor lhes convier, porque o intuito é que “todo mundo goste de mim, que eu seja popular e querido pelo público” e acabam abandonando (propositalmente) o pior lado delas. De repente todo mundo tem uma necessidade incrível de ser “super”, de ser especial e de ser querido, mas poucos investem de fato (na vida real) em serem pessoas mais éticas, honestas e coerentes.

Acho que o sofrimento reside exatamente nesta busca desenfreada de ser aquilo que não se pode, mas se almeja porque o outro tem, porque o outro conseguiu e eu não. De repente o vizinho tem uma grama mais verde que a minha mesmo, e daí? Será que tenho que atrelar a minha felicidade ou infelicidade a isto? De repente Deus não me deu a beleza do Brad Pitt, mas posso ser feliz sendo eu mesmo. O que quero dizer com tudo isto? Algumas pessoas gastam mais tempo desejando ser algo que não são e deixam de vivenciar de fato aquilo que são de verdade. A questão que fica no ar: as pessoas usam o “verniz” social por que querem ser aceitas e amadas, ou por que de fato não aceitam o que são de verdade?

Obs: Imagem retirada do Google.

9 comentários:

  1. enquanto alguns blogayroz fazem posts reforçando preconceitos, vc escreve coisas incriveis como essa. parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Meu querido, que texto lindo... parabens! Concordo com o Foxx... deveriamos escrever mais sobre o que sentimos. As coisas seriam bem mais interessantes.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Pão bolorento também é gente, viu????? Hahahaha! Hugz-heroman! Lindo texto, claro!

    ResponderExcluir
  4. Que leve!

    Sincero,

    defendo uma linha equilibrada,


    bjkasssssss

    ResponderExcluir
  5. Deveria ser sempre assim... como esta no seu blog...
    de coração para coração
    ser entendido(a) passar em letras o acontecimento...


    bjs insanos da Insana

    ResponderExcluir
  6. Queridos:

    Foxx - Obrigado. Fico extremamente feliz em gerar estas reações nas pessoas (meu ego agradece mtooo...rs).Falando sério, fico muito agradecido em saber que escrevo coisas que abordam assuntos pertinentes. Abraço.

    Cesinha - Obrigado de coração. Bom saber que ainda se preocupam com assuntos menos frívolos...rs. Abraço grande.

    Fred - kkkkkkkkkkkkkk vc não tá se incluindo no "crubinhu dos pão", não né? hahahaha. Abraços myhero.

    Alê - Brigado lindona, vc sempre é muitoooo gentil comigo. Beijooos.

    Insana - Brigaduuuuu...rs. Beijooooos.

    ResponderExcluir
  7. Amore mio, me perdoe pela demora em vir, mas cá estou.
    Seu texto é digno de aplausos, e não vale dizer que sou suspeita...rsrs.
    Não sei escrever bonito como você, mas assino embaixo e concordo em gênero, número e grau com tudo.

    Um beijo enorme no teu coração.
    Saudades? Muitas!

    ResponderExcluir
  8. Passando pra deixar um carinho e uns confetes,


    Bjkas e ótimo domingo!

    ResponderExcluir
  9. Queridas:

    Majô - Obrigado lindona, sei que tudooo que você fala é a mais pura verdade e sou mto grato pela amizade sincera que temos. Beijooos e linda semana.

    Al~e - Fico feliz com o carinho e os confetes. Você é sempre mtoooooo bem-vinda...rs. Beijooos.

    ResponderExcluir

O Lua agradece sua visita, volte sempre.