22 de mar de 2013

FALSAS LÁGRIMAS




Olívia, Aurora e Jurema eram carpideiras profissionais. Todos os velórios e enterros que ocorriam na pacata cidadezinha de Belenzinho D’Ajuda na Bahia contavam com a ilustre presença das 3. Amigas inseparáveis, nutriam uma amizade de mais de 50 anos, já tinham vivido grandes historias e momentos juntas. Aurora e Jurema eram solteironas convictas nunca haviam se casado, tendo apenas 1, ou 2 namoradinhos na adolescência. Agora senhoras que beiravam a faixa dos 70 tornaram-se carpideiras de primeira. Olívia ao contrário delas era viúva. Ela fora casada com o Sr. Heráclito, o farmacêutico mais querido daquela pequena província por 30 anos. Infelizmente uma pneumonia ceifou a vida do pobre homem.

Amigas inseparáveis também brigam e tem seus arranca-rabos. Uma vez houve uma briga daquelas entre elas tudo porque Aurora resolveu ir visitar sua prima Dorothea na cidade vizinha sem avisar ás outras. Depois de 1 semana do sumiço ela reapareceu como se nada tivesse acontecido. Suas amigas estavam fulas da vida e soltaram os cachorros em Aurora quando a mesma retornou. Parecia que ela tinha cometido um crime tamanha bronca que levou das amigas.

A maior briga de todas foi no velório da Dona Gumercinda. Nossa aquele dia foi um Deus-nos-acuda. Jurema acusou Olívia de ter chorado mais alto e assim chamado mais atenção pra ela mesma do que pra finada falecida. Onde já se viu querer chamar mais atenção que a defunta. Onde nós estamos, onde este mundo vai parar... Daquele dia em adiante Jurema declarou uma guerra silenciosa a “amiga”.

Em uma noite de um agosto qualquer para desgosto de Olívia e Aurora depois da santa missa dominical, Jurema entrou pelos fundos do velho casebre de Aurora e flagrou as 2 amigas completamente nuas na sala na maior safadeza. Aquela história não ia ficar assim, sem uma explicação, as amigas tinham ido longe demais.

No dia seguinte Jurema convidou Olívia para um cafezinho em sua casa e viu sua agora inimiga agonizando em sua cozinha ao tomar o café envenenado. Não queria ter matado a amiga, mas Olívia precisava saber que ninguém podia chorar mais que ela em um enterro da cidade. Se não bastasse Olívia chorar melhor e mais alto ainda por cima havia resolvido bulir com Aurora, sua companheira de mais de 20 anos. Olívia antes de tomar o cafezinho mortal havia levado uma caixinha de bombons para a amiga, pois sabia que Jurema amava chocolates, mas o que Jurema não sabia que eles estavam envenenados também. Ambas nutriam um amor ás escondidas por Aurora.

Quando Aurora chegou á casa de sua companheira encontrou ambas mortas. No velório de Jurema e Olívia, Aurora chorava copiosamente abraçada a Dorothea, sua prima distante e misteriosa.

Carpideira é uma profissional feminina cuja função consiste em chorar para um defunto alheio. É feito um acordo monetário entre a carpideira e os familiares do defunto, a carpideira chorava e mostrava seus prantos sem nenhum sentimento, grau de parentesco ou amizade.
A profissão existe há mais de 2 mil anos. No Brasil, as carpideiras chegaram junto com a colonização portuguesa. Inicialmente o pagamento não era feito em dinheiro, mas com bens da família do defunto.
Itha Rocha é a carpideira mais conhecida no Brasil. Já chorou em velórios de pessoas como como Lady DianaClodovil Hernandes e chega a ganhar até 300 reais por trabalho.

LINDO FIM DE SEMANA A TODOS.



16 comentários:

  1. caraca q delícia de conto ... adorável mesmo ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bratz:

      Fico feliz com seu carinho de sempre.

      Beijo meu amigo e lindo fim de semana.

      Excluir
  2. Gostei também Edilson.... delicioso e informativo.
    Tai um vêio a explorar....

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Margot:

      Fico feliz que tenha gostado lindona, obrigado pelas palavras gentis e de apoio.

      Beijos e lindo fim de semana.

      Excluir
  3. nossa... muito bom esse conto...
    gostei demais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teago:

      Obrigado querido pelo carinho.

      Abraços e lindo fim de semana.

      Excluir
  4. "Dorothea", que nome engraçado :D

    muito bom conto! nao sabia se ria ou ficava pasmo! (#medo de velha safada ¬¬)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael:

      Engraçado e incomum, né?rss

      Obrigado pelo carinho de sempre.

      Abraços e lindo fim de semana.

      Excluir
  5. Interessante... qualquer semelhança entre o trio Nair Belo, Lolita e Hebe é mera coincidência... :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raphael:

      Elas amavam um velório pra dar risadas, né?rsss

      Saudades da Hebinha e da Nair.

      Beijos meu amigo e lindo fim de semana.

      Excluir
  6. minha vizinha de frente é carpideira, mas não profissional, ela vai a enterros por passatempo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foxx:

      Digamos que ela é carpideria não sindicalizada então..hahahaha.

      Lindo fim de semana. Beijooos.

      Excluir
  7. ótimo, ótimo mesmo.
    acho que você vai gostar disto
    www.nelsoncaldasfilho.blogspot.com.br
    bjs rapaz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wair:

      Ebaaaaaaa...você ficou bem animado com o conto...rs

      Grato pelo endereço do blogueiro, vou visitá-lo.

      Beijo e lindo fim de semana.

      Excluir
  8. Raios! Eu devia ter escolhido essa carreira... tipo: deve ter carpideira macho, nzé? Hehehehe! Mutcho bom, Edilson! Hugzones!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fred:

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ainda dá tempo...rs

      Abraços mysuperherocarpideirofriend.

      Excluir

O Lua agradece sua visita, volte sempre.